RELIGIOSOS FORA DA LEI, CONTRIBUEM COM A FAMA NEGATIVA E O PREJUÍZO MORAL PARA TODOS NO AXÉ


É triste dizer, mas é fato, sabemos que muitos religiosos, não Irã concordar e nem prestar atenção, a este artigo, pelo simples fato, de fazerem parte do grupo que é o problema e não tem interesse de fazer parte da solução. Fechar os olhos é o melhor caminho, para quem deseja dar desculpas, acusar, culpar e cobrar dos outros o que não tem disposição de fazer por si mesmo.

A reputação da nossa comunidade está comprometida, maculada e desprestigiada por conta da intolerância, racismo e preconceito crescente na sociedade, onde as pessoas de forma generalizada veem as atividades dos religiosos do Axé, como algo do mal. Mas quem se preocupa? De quem é a culpa, se quase a totalidade dos religiosos, estão na ilegalidade, na clandestinidade e não cumprem com o básico, que é sua propria identidade como religioso.

A sociedade, esta mais atentas e sensíveis, principalmente sobre a origem de cada religioso e quem esta sua volta. O seu vizinho, um frequentador e até um simpatizante, ao ser perturbado, contrariado e incorformado por não ter seus direitos e interesses atendido, saberá como atingir o seu desagrado, ou seja, o religioso do Axé.

Não é surpresa, que a cada dia mais denuncias são feitas, mais fiscalização e a policia bate na porta de um religioso com mais frequencia, pois o alto nível de estelionatos e outros crimes que são cometidos em nome da fé, tem levado bons religiosos a serem confundidos e são tratados como bandidos. Tais fatos são verificados diariamente em notícias, ainda que o religioso do Axé, seja honesto, correto, ele acaba sofrendo o linchamento, o assesio e acuzações, que o coloca no foco e na vitrene, como se fosse, mas acaba sendo, pois esta clandestino e a margem da lei, sendo um marginal, por não ter sua legalização religiosa.

Estas notícias negativas, fatos diários, que afetam a todo, colando o coletivo honesto (maioria) de joelhos, mas não para rezar, mas sim por se sentir enfraquecido e incapaz de fazer sua defesa. Mas mesmo diante de fatos, a maioria honesta prefere se esconder, se calar, se fazer de cego, no lugar de buscar solução, de buscar sua legalização e conhecer seus direitos e deveres acima de tudo.

Para que o Religioso do Axé, possa se levantar e ter forças para fazer frente as acusações falsas, denuncias vazias e comparações indevidas, esta na mudança de postura, passando a se preocupar com sua reputação, um aspecto importante, nesta mudança, esta na preservação de seu nome, estar devidamente legalizado na sua função e cargo na religiosidade.

O princípio de tudo, deveria ser a preocupação em estar legalizado, conhecer seus direitos e ter uma assessoria que lhe proporcione o saber, sobre deveres, direitos, obrigações e como se postar diante de cada situação.


A AFRO BRASIL tem publicado artigos, que falam sobre os aspectos necessários e quais benefícios cada um dos religiosos terão ao estar legalizado e terem orientações minimas necessarias, para realizar suas atividades na legalidade e com segurança jurídica.

Mas a maioria preferem a clandestinidade, não dão atenção aos artigos de orientação, preferem o risco do flagrante delito, preferem estar no grupo dos clandestinos e conhecidos como marmoteiros. Alegam ser caro, dispendioso, mas quando são multados ou privados, ai descobrem que caro e dispendioso de fato, são as multas.

Os tempos são outros, as leis mudaram e a cada dia a fiscalização, as cobranças e a própria sociedade esta cada dia mais consciente e recorrendo aos mecanismos que a lei oferece. E quem esta na clandestinidade, não tem apoio e orientação jurídica segura e confiável. Depois que a casa é arrombada, não adianta colocar segurança, de nada vai adiantar um cadeado.

Sabemos também, que a confiança em algumas Federações e Associações, está maculada, corrompida e desacreditadas, mas não podemos generalizar, até porque, da mesma forma, que um religioso é comparado aos marmoteiros e criminosos, sabemos que nem todos são, nem todas as Federações ou Associações merecem tal rotulo.

Cabe ao religioso, pesquisar, analisar e fazer sua escolha. Onde possa ter sua documentação, ou seja, sua credencial religiosa, seu CNPJ caso seja necessário e possa ter o suporte de uma estrutura administrativa que atenda suas necessidades.


O que o religioso não pode e não deve é se manter inerte, parado e omisso a suas obrigações e responsabilidade social, de estar legalizado e cumprindo com sua missão de cidadão.

Na AFRO BRASIL LEGALIZA, você tem uma ótima opção de instituições, que pode e vai fazer a diferença na segurança e tranquilidade jurídica nas suas atividades, mais ainda, queremos construir uma parceria, para que o religioso do axé tenha total apoio jurídico, contábil e administrativo.

Não somos donos da verdade e nem melhor que ninguém, porem, podemos fazer a diferença, com nossos parceiros e profissionais de área, que além da experiência e competência comprovada na atuação em defesa e apoio aos religioos do axé, tem uma convivência antiga, conhecem as nossas particulariedades e sabem das nossas limitações enecessidades. Eles tambem são do Axé!

O religioso fao fazer a devida comparação, não somente com valores, mas com a estrutura, documentação, transparência, personagens da direitoria e apresentação, saberá que a mais moderna, mais atual e mais parceira é a AFRO BRASIL.


Vivemos uma nova realidade e o religioso do axé tem que enxergarque é urgente, fundamental estarmos antenados e atualizados com as leis.


BABALORISÁ GÂMBI TY SANGÓ www.afrobrasillegaliza.com.br afrobrasillegaliza@gmail.com


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo